Loving Annabelle

"The only real voyage of dicovery consists not in seeking new landscapes but in having new eyes."
Marcel Proust, citado no filme
"For one human being to love another; that is perhaps the most difficult of all our tasks...the work for which all other work is but preparation."
Rilke, citado no filme
Ontem à noite estive a ver um filme fantástico que quero partilhar aqui....
Loving Annabelle (2006) é a controversa história de amor entre uma professora de um rígido colégio católico, Simone Bradley (Diane Gaidry), e a sua nova aluna, Annabelle (Erin Kelly).
Simone é uma jovem professora de poesia que encontra paz e segurança entre os muros do colégio. Diria que tem uma vida morna, sem paixão maior do que aquela que dedica à educação das suas alunas. Procura uma vida sem problemas e talvez seja por isso que insiste em suportar uma relação que, sabe, não a levará a lado nenhum.
Annabelle é a nova estudante, mandada para o colégio pela mãe, uma notável Senadora, como meio de reabilitação para o seu comportamento rebelde. Não é, contudo, apresentada como a típica indisciplinada, mal-educada e afins, e o filme só ganha por isso! É uma jovem determinada, persistente, sensível, doce e inteligente. É fácil apaixonarmo-nos por ela, digo eu! :)
Tal comportamento, aparentemente desregrado, exige que Miss Bradley, que além de professora é também a responsável pelo dormitório de Annabelle, lhe dedique uma maior atenção. Contudo, rapidamente a professora se apercebe que o verdadeiro desafio não é disciplinar o comportamento de Annabelle mas sim disciplinar a atracção que vai crescendo entre ambas.
Consigo compreender o quanto difícil deve ter sido para a professora assumir para si própria essa atracção. A luta que travou consigo até ao fim, mas a que era impossível ceder. A consciência de tudo aquilo que estava a pôr em risco, com as devidas consequências profissionais e morais. No fundo, ela era, acima de tudo, prisioneira de si mesma.
Quanto ao filme em si, gostei. Gostei muito. É certo que o início é potencialmente previsível, mas tal não lhe retira o devido encanto. É, de resto, essa a palavra. Fiquei encantada com o filme! :)
Gostei particularmente de toda a poesia. De toda a intimidade e profundidade que se vê em cada gesto e olhar entre elas. Gostei da convicção de Annabelle em não tirar o terço budista. Gostei do abraço "forçado" que ela deu a Simone, na casa da praia (porque é que recusamos tantas vezes um abraço de que sabemos precisar?). Gostei do atrevimento do ramo de flores. :) Gostei de a ouvir cantar, no baile. Não gostei da roommate a denunciá-las. Não gostei do fim ;(
Apenas um grande senão, que não posso deixar de encontrar também em The L Word: porque é que insistem em retratar o sexo masculino, literalmente, como algo tão mau, rápido e sem sentimento? É uma versão demasiado exagerada, na minha humilde opinião. Fora isso, tudo no filme foi...adorável!
Loving Annabelle explora a complexidade do amor e as batalhas interiores que sempre ocorrem. Mostra a indomabilidade de sentimentos tão poderosos. Mostra, especialmente, que há riscos que valem a pena correr...
Loving Annabelle é, acima de tudo, uma história de amor proibido. Por ser entre aluna e professora. Por ser entre mulher e mulher.
Apesar de ser um remake de um filme de 1931, Maedchen in Uniform, o tema continua por si só a ser polémico e controverso. Será assim tão pouco ético manter uma relação aluno/professor, médico/paciente, patrão/empregado, mesmo que exista um amor verdadeiro? Ou o "problema" da diferença de idades? Fiquei, realmente, a pensar sobre isso, bem como, sobre todas as oportunidades, todas as possibilidades de crescimento e de aprendizagem que geralmente perdemos, todas as conexões que não fazemos, tal é o medo de arriscar. O tal...to love or not to love! :)

13 comentários:

MC disse...

Também gostei do filme, apesar de ter detestado o fim. Suponho que tenha sido o fim "realista" para a coisa, mas detestei anyway.
É um filme, como disseste, um bocado previsível, mas não deixa de ser giro (apesar de haver melhor dentro do género).

Não percebi o teu comentário acerca do sexo masculino... granted que já vi o filme há bastante tempo, mas não me lembro de nada de especial, até porque homens eram o namorado da prof. e pouco mais...

Marisa disse...

Sim, o homem era só mesmo o namorado da prof. mas, se tiveres tempo pa rever o filme e a parte em que ela está na cama com o dito cujo, decerto entenderás. É óbvio que sendo um filme de temática lésbica, seja menorizado o papel do homem mas, por vezes, acho q n deveria ser esse o caminho.
Mesmo em TLW, todas as cenas de sexo com homens, apesar de obviamente poucas, parecem-me demasiado mecânicas e desprovidas de sentimento. Olha o Tim e a Jenny, por exemplo, ou o Henry da Tina. Fora estes, todos os outros homens da série são mostrados como pessoas pouco..honestas, como o Mark (que as filmava) ou até como o Angus (que traiu a Kit). Não é pelo facto de se enaltecer o erotismo das mulheres, que se deve denegrir o dos homens. Entendes o que tento dizer?
**

MC disse...

Realmente não me lembro, marisa. Um dia destes revejo o filme para tentar perceber.

Quanto ao TLW, discordo (quase) totalmente... a 1ªseason estava carregada de sexo heterossexual, e até te digo mais: nos primeiros eps, as cenas de sexo são, em muito mais de metade, cenas heterossexuais. Believe me, fiz um trabalho sobre o assunto.

Quanto ao desprovido de sentimento, percebo que digas isso sobre Tim/Jenny, mas não concordo no que concerne à Tina/Henry
Se bem que até percebo se for assim neste último caso, viste as costas do homem na 1ª cena deles? EW.

Compreendo o que dizes sobre o Mark e o Angus, mas não quer dizer que isso suceda sempre... o Tim era uma óptima personagem, por exemplo. Err, teve foi azar com a Jenny, coitado:p
E também há imensas mulheres da série pouco honestas, como dizes. Portanto acho que isso tanto dá para um lado como para o outro...

Marisa disse...

Bom...parece que concordamos nuns pontos e discordamos noutros. :)
Acredita que fiquei realmente curiosa por teres feito um trabalho sobre as cenas heterossexuais de tlw! :p Sinceramente, n me recordo dessas cenas maioritariamente heterossexuais nos primeiros ep da 1a season, mas, se o dizes, confio plenamente. De qq modo ando tão vidrada na 4a q n é de espantar q já n lembre de td da 1a! :)
Talvez a expressão "desprovido de sentimento" não seja a mais feliz, mas, suponho que concordes com "mecânico" :) , o que é praticamente evidente na última cena de sexo entre Tim e Jenny, "vingança" de casamento! :)
Subscrevo em relação às costas do Henry! EW :)
Qt ao resto, sou tb obrigada a concordar ctg...pessoas desonestas há em ambos os sexos, infelizmente...
Talvez tenha exageradamente generalizado, o que me levou a uma resposta algo tendenciosa. Vendo bem, tlvz até a cena de sexo em Loving Annabelle entre a prof/namorado n tenha sido assim tão..mecânica, ela é que se vê bem que não tá mt satisfeita com o corpo dele em cima do dela :) Porventura, ele até nem era mau, aquilo não tinha era qualquer interesse para ela..:)
Anyaway, tens razão, foi uma afirmação algo exagerada. :)

Marisa disse...

*anyway

Alice disse...

Sim, como exemplo de mulheres desonestas, lembram-se da Ivan?

Rose disse...

Ótimo filme...excelente comentário...

Rose Mendes

Mj disse...

"Quanto ao filme em si, gostei. Gostei muito. É certo que o início é potencialmente previsível, mas tal não lhe retira o devido encanto. É, de resto, essa a palavra. Fiquei encantada com o filme! :)
Gostei particularmente de toda a poesia. De toda a intimidade e profundidade que se vê em cada gesto e olhar entre elas. Gostei da convicção de Annabelle em não tirar o terço budista. Gostei do abraço "forçado" que ela deu a Simone, na casa da praia (porque é que recusamos tantas vezes um abraço de que sabemos precisar?). Gostei do atrevimento do ramo de flores. :) Gostei de a ouvir cantar, no baile. Não gostei da roommate a denunciá-las. Não gostei do fim ;( "

É quase a descrição exacta da minha opinião sobre o filme. :D
Vi-o há poucos dias, talvez 5... e ainda não consegui parar de ir rever algumas cenas à net, dezenas de vezes, todos os dias.

Fiquei completamente viciada! Nas músicas, nas cenas... nos olhares, nos gestos... LINDO!

Boa crítica ao filme! :D

Garota disse...

Gostei muito da crítica que fez ao filme e concordo com muito do que diz. Simone lutava o tempo todo contra o que sentia... Já Annabelle quis arriscar. Elas enfrentavam muitos obstáculos para seus sentimentos e isso acabava de certa forma atrapalhando. Simplesmente amo este filme...

Solange disse...

O filme foi otimo, uma história real que bate de frente com a realidade. Muitas pessoas não gostou do final do filme, mas não é o final do filme que devemos presta atenção e sim no amor proibido, entre uma professora e uma aluna em um lugar tão rigido.

Anónimo disse...

concordo completamente! devemos prestar atenção ao verdadeiro amor delas num lugar daqueles...e por falar no fim do filme, também não gostei, os produtores, realizadores,...insistem em terminar sempre as series/filmes...lesbicos mal, como por exemplo em LHDP a Silvia morreu praticamente a seguir ao casamento com Pepa; hoje em dia é claro que andamos mais avançados em relação à maneira como as pessoas veêm outras pessoas homosexuais, mas acho que ainda não é o suficiente, e agora a falar como lésbica que sou, acho que nunca iremos ser totalmente respeitados, vai haver sempre alguém a arranjar uma maneira de virar os outros contra nós...espero estar enganada, mas daqui a uns anitos se verá! xD

mas falando outra vez sobre o filme, adorei todos os segundos! (excluindo o fim claro) e acho que já está na hora de começar a respeitar os gays/lesbicas/bissexuais...porque no fim deste filme é como se nos tivessem a dizer que estava errado estas duas pessoas terem feito o que fizeram e que era errado gostarem uma da outra! mas para mim, nada é errado quando se ama desta maneira e tenho que lhes agradecer pelo papel que desempenharam e mostraram que o amor entre pessoas homosexuais pode ser uma coisa muito bonita como o amor entre heterosexuais! adorava que estas series viessem para Portugal e inspirassem muitas pessoas que veêm a homosexualidade como o fim do mundo! ^^

Marisa disse...

Obrigada pelo comentário. :)

Rose disse...

Gostei do filme, só foi rui o final,
elas tinha tanto atraçaõ uma pela outra, quando as duas se amam diverdade, ai o romace acaba, TRAGICO..