Todas as palavras e mais uma.

Esta que escreve não é a mesma que esta que diz. Eloquência é, de resto, uma palavra que deixo para a escrita e sempre de desconfiar. Sou, até nisso, a que tem de se esforçar. Admiro por isso quem usa as palavras no seu sentido mais completo e mais bonito, isto é, sem a pretensão de serem mais do que são. Palavras. Que pelo meio de uma mesma conversa banal, se utilizem - com a mesma facilidade e simplicidade -  palavras como "conas" ou "nefasta", "longitudinal" ou "panicar" é já só uma razão pequena entre outras tantas. Se algum dia as minhas palavras foram de dormir, sempre foi com as dela que eu quis acordar.

2 comentários:

Sofia L. disse...

"Se algum dia as minhas palavras foram de dormir, sempre foi com as dela que eu quis acordar." Gostei

Marisa disse...

Obrigada.
Soubesses a veracidade desse dormir com palavras e seria ainda de gostar mais, como gosto eu. :)